18-03-15-PAULO-FREIRE

ICONOGRAFIAS DO BEM

Como prometido, começarei a trazer nesse quadro figuras que não estão ligadas somente à religião ou à espiritualidade, como foram as anteriores, para mostrar que o bem é expandido a todos os horizontes, a todos os cantos. Podemos ter pessoas que se destacam pela sua atitude positiva e benéfica nas mais variadas áreas ou esferas da vida social aqui neste mundo chamado Terra. Para este mês de Junho de 2017, resolvi trazer a iconografia de Paulo Freire, educador brasileiro, que conheço um pouquinho e sou fã. O texto será desenvolvido não como uma vasta pesquisa realizada, mas com aquilo que sei e guardo deste pedagogo e pesquisador, pois sempre lembrando que o que mais importa neste quadro é contemplar e divulgar a imagem.

 O pernambucano Paulo Freire foi um educador, pedagogo e filósofo. Foi um revolucionário da educação brasileira ao propor um método de alfabetização de adultos com o qual conseguiu alfabetizar centenas de trabalhadores rurais partindo da realidade social e cultural deles.

Sua filosofia educativa está pautada na educação crítica, emancipatória, transformadora e dialógica. Trata o aprendizado e o processo de ensinar-aprender, que são indissociáveis, como um gesto de amor: “Se não amo o mundo, se não amo a vida, se não amo os homens, não me é possível o diálogo”. O diálogo é tão importante que para Freire “a leitura do mundo precede a leitura da palavra”.

Ele combatia a educação chamada de bancária e depositária, a repetição e a memorização. Ou seja, aprender é pensar e refletir, ao contrário de acumular conhecimentos que para nada serve. Quem aprende se transforma e transforma o mundo e o outro.

Entre seus livros, os mais famosos são “Pedagogia do oprimido”, “Pedagogia da autonomia”, “Pedagogia da esperança” e “Educação como prática da liberdade”. Deixou discípulos e um dos mais famosos é o professor Moacir Gadotti, ainda vivo.

Paulo Freire, a educação que liberta e transforma.

 

Anúncios