É um tal de cusparada em um, cusparada em outro. Virou moda! Parece que as boas maneiras estão fora de moda. Mas não estão! Nem nunca estarão! Outro dia fui jantar com minha família em um restaurante da cidade e o lugar é um pouco apertado, as mesas colocadas muito próximas. Eis que me senta um casal conhecido na cidade por serem muito ricos e a mesa colocada muito próxima a nossa, começam a se debruçar em cima de nós. O homem sentou-se meio de lado e colocou a pança dele quase em cima da minha irmã! Só têm dinheiro e banca. Mais nada.

1-1231002924wqjW

Outro lugar em que se impera a falta de polidez é o trânsito. Ontem mesmo eu fui fazer uma rotatória e ao sair dela dois estudantes estavam atravessando a faixa de pedestres, eu tive que esperar, senão eu atropelava-os. De repente uma moto veio da oura pista e gritou comigo. Eu disse a ele se ele queria que eu atropelasse os jovens. Difícil não perder a cabeça.

Ser bem educado não é ser cheio de delicadeza, demasiadamente cortês. É usar o bom senso, dar a vez a quem precisa dela. Dizer bom dia, boa tarde, boa noite. Numa palestra recente que dei sobre educação e espiritualidade (vide texto abaixo) no debate em que abri logo após, um dos participantes disse que não existe pessoa sem educação. Que a educação é um processo e conjunto de hábitos adquiridos ao longo do tempo. Portanto o que há são pessoas bem-educadas e mal educadas. O mundo está hostil. Severo demais com todos. É preciso transformar hábitos e consciências. Precisamos sair do nosso lugar de conforto e pensar no próximo. Este texto serve muitíssimo para mim, que sou um tanto ríspido às vezes com as pessoas.

Estive pensando também nos últimos dias, por meio de observações e reflexões que faço das percepções no cotidiano com as pessoas, de como a maioria trabalha mal humorada, querendo cumprir o trabalho por obrigação. Fecham as caras, reclamam demais: “ai meu Pai daqui, ai meu Pai dali!” Quanto mais o fardo é olhado com o pescoço curvado, mais difícil é de carregá-lo. Olhemos para cima que tudo fica mais fácil. Eu sempre procuro estar de bom humor, ou pelo menos aparentar, porque as pessoas não tem nada a ver com nossos problemas: sorrir, dizer bom dia, tratar a todos bem.

Sejamos com os outros, como queremos que eles sejam conosco! Respeitemos o espaço do outro, e cuidemos do nosso! Estas são as regras máximas da convivência em grupo, da etiqueta social, que estão sendo deixadas de lado! Mas jamais as boas maneiras estarão fora de moda. Muito pelo contrário!

Anúncios