Uma espécie de diário, mas de um jeito bem Insólito”. É assim que Jaqueline Bastos, de 25 anos, moradora da zona leste de São Paulo (SP), define o seu espaço na internet. Esta publicação é mais uma parte do projeto RELÊBLOGS – Rede de Leitura de Blogs, no qual apresentamos diversos blogs espalhados pelo universo virtual. Assim geramos interação entre os blogueiros e conhecemos um pouco mais das personalidades, perfis e histórias de quem vos escreve.

eu insolito

Faz 10 meses que a assistente de vendas, que trabalha na área comercial de fornecimento de material para indústrias e empresas, lançou o Blog O EU INSÓLITO (http://oeuinsolito.wordpress.com). Insólito quer dizer o que não é habitual; infrequente, raro, incomum, anormal; que se opõe aos usos e costumes; que é contrário às regras, à tradição. Por que este nome e qual a irreverência de Jaqueline? Antes de tudo gosto muito da palavra e a mesma está presente no título de um filme que eu acho muito legal: ‘Viagem Insólita’ (que é bem insólito mesmo). Mas a origem do saber sobre a palavra foi durante uma leitura de uma das versões de Tristão e Isolda. Na cena Tristão está prestes a ser descoberto por Rei Marcos como traidor de sua confiança, uma vez que tem um caso com Isolda. Mas é salvo por um insólito reflexo no lago e nas folhas e, ao saber que era vigiado, se comporta de maneira diferente. Outras coisas insólitas acontecem com o casal como se a magia do amor os protegesse de qualquer coisa. No mais eu sou mesmo insólita, e não há ninguém que contrarie isso. Sou muitas vezes tida como estranha, por procurar viver de uma maneira diferente: não beber, não usar drogas… essas coisas soam insólitas pra maioria. O eu insólito foi o melhor título para descrever o que viria a ser o conteúdo do blog. Afinal de contas lá é o diário onde desabafo muitas coisas e me permito escrever todo e qualquer pensamento insólito. Não sei se meu comportamento é assim tão irreverente, mas as pessoas costumam dizer que sou estranha. E se me coloco em comparação à maioria, de fato me sinto mesmo estranha”, conceitua.

O blog foi criado em 13 de junho de 2015 e como é característico de diversos blogs que nascem e morrem com o tempo, Jaqueline já teve outro na plataforma Blogspot e agora está com a WordPress. São diversos assuntos do seu espaço, mas estão sempre ligados a algo do cotidiano. A blogueira escreve sobre sua visão acerca do que está à sua volta e de que alguma maneira a afeta e chama sua atenção. “Desde uma crítica (como no caso da crítica recente que fiz ao sistema de saúde público, numa postagem que contava aos leitores como isso me afetou naquele dia em específico), crônicas (baseadas em alguma situação real) até textos de desabafos ou poesias. O blog é uma espécie de diário, mas de um jeito bem insólito”, descreve.

Espaços heterogêneos

Falar de diversos assuntos, ser lido por um público heterogêneo e diversas localidades são algumas das características comuns entre os diversos blogs espalhados pela web. Eles surgiram como um modelo on-line dos antigos diários, em que as pessoas postavam o que estavam fazendo, como se fosse uma linha do tempo do Facebook, só que mais intimista. Com o tempo eles abrigaram diversos gêneros textuais e se transformaram em pequenos jornais, livros on-line, cinema e teatros opinativos que mostram a visão do público comum, pessoas amadoras ou profissionais da escrita que veiculam de uma forma rápida, simples, prática e barata seus escritos. Sem dúvida, uma democratização da produção da informação.

Os seguidores do EU INSÓLITO são de diferentes idades, classes sociais, profissões. “Na verdade quem me lê, sempre é uma surpresa. Através do blog tenho tido contato com músicos, arquitetos, médicos, estudantes. Muita gente diferente! Posso considerar que minha principal (ou única) identificação com algum deles é o amor pela leitura e a escrita”, diz Jaqueline.

O nosso projeto de proposta de Rede de Leitura de Blogs já está há muito tempo sendo praticado pela blogueira. Além de manter seu espaço, ela ainda lê diversos outros blogs e até mantém uma página no seu com os endereços que ela segue e curte (https://oeuinsolito.wordpress.com/leio/). Uma divulgação recíproca. Segundo Jaqueline é gostoso prestigiar quem passou algo que acrescenta e como ela presume que irá acrescentar a outros, ela divulga. Além do conteúdo, a interação acontece entre os blogueiros. Jaqueline conheceu várias pessoas (algumas até pessoalmente) e conversa diariamente com uns cinco blogueiros que são tão íntimos que sabem mais de sua vida do que a própria família.

eu insolito 2

Iconografia do pensamento moderno

Além de muito criativo e com leituras gostosas, atraentes e que desenvolvem uma iconografia do pensamento moderno, o EU INSÓLITO apresenta uma veia literária, cultural e artística que atrais os simpatizantes da boa leitura, da escrita, das artes em geral. Algumas postagens que chamam atenção são sobre a obra de Miguel de Cervantes com Dom Quixote e Shakespeare. “Dom Quixote, louco e sonhador! Sempre que releio a obra de Cervantes aprendo algo novo. Minha obra favorita de Shakespeare é ‘Sonhos de uma noite de verão’, li algumas vezes esse livro e cada vez gosto mais. No entanto, nunca havia me aprofundado nas obras dele até chegar à faculdade e ouvir muito sobre [Jaqueline iniciou o curso de Pedagogia, mas trancou a matrícula e agora deseja fazer Letras]. Meu professor de psicologia infantil (também psiquiatra) dizia que a Psicologia e a Psiquiatria aprenderam muito sobre a psique humana através das obras de Shakespeare. Eu acho que não sou a melhor pessoa para falar sobre, porque realmente não mergulhei assim de cabeça nos personagens dele. Mas como reza a lenda, bebeu da fonte de ‘Tristão e Isolda’ (e eu particularmente sou mais Tristão e Isolda a Romeu e Julieta), então eu acho que ele foi mais esperto do que criativo”, destaca.

No dia internacional do livro (23 de abril) o blog da Jaqueline chegou a marca de 1 mil seguidores. Uma estatística alta e que a deixou surpresa. O motivo: o fato de expor opiniões que talvez explique esse número. Para Jaqueline, num mundo cheio de padrões que são estabelecidos pela mídia, ou até mesmo pela sociedade, alguém que faz alguns questionamentos sobre diversos assuntos acaba por receber um pouquinho de atenção. “Não acho que seja muito em comparação com blogs de moda, por exemplo. Mas por escrever o que escrevo (coisas pessoais e contundentes) estou muito satisfeita com o número”, comenta.

A fé é outro assunto presente por lá. “Eu sou cristã. Logo no início do blog fiz uma tag chamada ‘METANOIA’ e nela expus bastante da minha vida como cristã. Inclusive os primeiros e-mails que recebi foram de pessoas que leram essas postagens e quiseram saber mais coisas sobre o fato de eu ser cristã. Religião acaba despertando curiosidade. As pessoas esperam que por eu ser cristã tenha um determinado comportamento, mas ao me conhecerem de maneira mais íntima acabam por perceber que de qualquer outra religião que pudesse ter, eu tenho um temperamento e uma personalidade, e é tolice achar que Deus retiraria isso de mim (ou de nós). Pelo contrário Ele trabalha em nós através de quem somos. O Apóstolo Paulo não deixou de ser um colérico quando se converteu ao cristianismo; Pedro não deixou de ser um sanguíneo mesmo depois que se tornou um discípulo de Cristo. E eu não deixei de ser eu ao aceitá-lo como Senhor e Salvador”, termina a blogueira insólita, Jaqueline. Insólito? Motivo para leitura, debate e reflexão. Ler, reler, comentar, divulgar os blogs: esse é o nosso propósito com o RELÊBLOGS e que hoje apresentou o EU INSÓLITO. Se você quer participar desse projeto mande um e-mail para danilovizibeli@gmail.com, ou deixe resposta nos comentários.

Anúncios