Uma vez ouvi de uma pessoa, uma professora, que professor não deve corrigir as provas de vermelho. Acredito que pela relação que se tem do vermelho, cor forte, de contestação e também pelo sangue, a guerra, o medo… Hoje eu estava corrigindo provas e a cor da caneta era verde e eu disse que não iria mais corrigir provas de vermelho. Aí começou uma reflexão sobre a relação do vermelho com o sangue e que na verdade a cor do sangue é a cor da vida. O sangue é o elemento vital. Sem ele não sobrevivemos.

red-blood-cells
Células vermelhas do sangue

Uma simbologia mística envolve esse elemento. Os vampiros se alimentam dele. Jesus derramou seu sangue na cruz por nós e ofereceu pão e vinho na ceia dizendo: isto é meu corpo, isto é meu sangue que será derramado por vós e por todos para a remissão dos pecados… Em algumas sociedades e em alguns tempos a mulher que está menstruada é considerada impura e até afastada do convívio social.

É tema polêmico e há até religiões que pregam contra a doação e transfusão sanguíneas. Voltando para a simbologia, há ligações com o afeto, a paixão, sendo que no fervilhar das emoções diz-se que o sangue ferve. Usado na poesia, metaforizado na música e nas artes em geral.

Quando pulsa o sangue em nós, pulsa a vida. Numa busca rápida pela internet podemos perceber diversos textos relacionados à temática e que o interesse já é antigo.

Será que continuo corrigindo as provas de vermelho para marcar ao aluno que ali tem vida, tem vida que pulsa?

Sangue: estranheza, vida; medo, pavor, angústia, vida. Sem ele: morte. Com ele: vida. Lembrei-me neste momento do meu avô que tinha o sangue grosso e excesso de sangue, e de vez em quando ele tinha que tirar sangue, só por tirar, para manter sua vida. O excesso da vida. O sangue, mistério. Sangue: corrente, flutuação, vida, vida, vida…