Apresento aqui o primeiro texto de uma série de Vivências Espirituais para falarmos da nossa fé numa forma da textualidade contemporânea. A ideia surgiu a partir de uma conversa que tive com uma amiga e que me disse que se pensarmos bem tudo de ruim que acontece no mundo é porque está fora do que foi ensinado nos dez mandamentos e no Sermão da Montanha. Interessante colocação que me abre a possibilidade da escrita destes diversos textos.

 Danilo Vizibeli*

Somos criaturas. O Criador é Deus. Saímos Dele. Ao sermos criados nos apartamos do Todo-Maior. E nossa caminhada é para que a Ele voltemos. Dele partimos, a Ele devemos chegar.

Nessa caminhada, o homem percebeu que também tem algumas capacidades que o aproximam da Sabedoria Divina. Com isso, começou a brincar de Deus. Dessa forma começou-se a confusão e o Mal surgiu. O Mal não foi criado por Deus. O Mal não existe em si. Ele só existe porque é a ausência do Bem. Deus criou o Bem e nos criou voltados ao Bem e ao Belo. Mas permitiu a liberdade das escolhas, até mesmo para testar os seres que tinha criado. A partir do momento em que o homem começou a se ausentar do seu propósito e de olhar para si mesmo e não para o próximo, deixou de fazer o bem e apareceu o mal.

E o que nos faria voltar ao belo, ao divino, à criação? O que nos reconecta com Deus? Aparece então uma lei moral, chamada de Dez Mandamentos, que nos é passada através de Moisés, que as escreve, como num processo mediúnico e que nos direciona para essa volta, essa busca de si mesmo, em conformidade com Deus. Os Dez Mandamentos e todas as leis morais que virão, são a prova máxima da misericórdia e bondade de Deus que nos mantém sempre sob sua proteção.

moses

AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS.

É reconhecer que somos humanos. E somos pequenos. Reconhecer que viemos de Deus, mas não somos deuses.

NÃO TOMAR SEU SANTO NOME EM VÃO

É ser sincero no amor a Deus. É colocar-se o respeito a um Pai, e honrar a confiança depositada em nós por Ele.

GUARDAR DOMINGOS E FESTAS

Não é ser beato, não é ser “santo”, mas é saber dedicar em sua existência, momentos para reflexões e contato íntimos com Deus. Também se refere aos abusos. Como domingo é o dia em que estamos fora do trabalho rotineiro, é possível abusar e as festas é o exemplo de desprendimento, de despojamento. Assim é citado os domingos e as festas para que evitemos os abusos em todos os sentidos, e sejamos mais comedidos, no falar, no sentir e no agir.

HONRAR PAI E MÃE

Compromisso espiritual firmado antes da encarnação. Contrato celebrado entre as partes, de aceitação em serem pais e filhos. De receber no seio materno espíritos com vínculos entre si. Portanto, respeito e cuidar de seus pais quando eles necessitarem.

NÃO MATAR

Todas as formas de morte: armas, guerras, a morte pela palavra, a morte pelos desvios… Deus nos criou para a vida. Quem tira da vida é somente Deus que nos colocou nela.

NÃO PECAR CONTRA A CASTIDADE

Viver bem consigo mesmo e com o próximo, administrando o corpo e a alma.

NÃO FURTAR

Saber respeitar o lugar do outro e o respeito ao espaço do outro. Assim como não gostamos quando temos nossa intimidade invadida, também não devemos invadir a intimidade dos outros.

NÃO LEVANTAR FALSO TESTEMUNHO

Acabar com a mentira e a hipocrisia. Ser íntegro e fiel em sua palavra. Saber trabalhar com a Verdade.

NÃO DESEJAR A MULHER DO PRÓXIMO

Ou o homem também. É ter um relacionamento pleno e que caminha para a beleza do amor em comunhão, em fraternidade, em esperança e construção divina. Que o lar e o leito nupcial de um casal seja fechado somente aos dois.

NÃO COBIÇAR AS COISAS ALHEIAS

O que é nosso é nosso! Ter ciência de que cada ser é único, cada um tem um tesouro que está “no seu coração”. Não queira invadir esse tesouro e não comece a embaralhar o que está dentro desse tesouro. Cada pessoa merece administrar-se a si mesma.

Cada texto é uma voz. E dentro de um texto, outras vozes se juntam a essa voz principal do autor. Aqui está um texto que apresenta a minha voz sobre os dez mandamentos. Não o tenha como a verdade, como um estudo sério e rigoroso, é apenas um momento de colocar em palavras aquilo que se quer viver. Fique à vontade para comentar.

*Danilo Vizibeli é jornalista, professor, Mestre e Doutorando em Linguística. Amante dos temas espirituais e religiosos.

Anúncios