Você tem uma religião? Se sim, participa das celebrações, cultos ou práticas propostos por essa denominação religiosa? Por que a religião é importante?

la-croix-

Sou uma pessoa bastante religiosa. Não é o objetivo aqui discutir doutrinas ou fazer proselitismo ou combater algumas religiões, mas oferecer reflexões sobre um pensamento universal que seja pautado no Cristianismo, lugar do qual eu falo.

Todas as religiões são válidas, desde que busquem a Deus e não manipulem, explorem ou exerçam coações sobre os homens. O pensamento religioso na vida de uma pessoa pode ser libertador ou aprisionante. Muitas vezes estou presente em um culto sem saber os seus significados. Ou estou ali, apenas para cumprir um protocolo.

Quando Jesus veio à Terra, ele que era Judeu, não fez proselitismo de sua religião, e apenas instaurou uma única religião: a do Amor. O amor que Jesus pregava era a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

Na busca de compreender Deus e de se tratar espiritualmente, contornando os desajustes, corrigindo defeitos e imperfeições e se sublimar, o homem criou e ainda cria diversas religiões. Não há, entretanto, religião completa. Todas têm qualidades e defeitos. Para se seguir uma religião é preciso fechar os olhos aos defeitos dela, ou então procurar combatê-los. Tem que se ter em mente, entretanto, que muitas vezes os líderes religiosos não estão disponíveis a combater estes defeitos.

Qualquer igreja que seja, precisa ser acolhedora, precisa abraçar o fiel em suas necessidades espirituais e temporais. Nas necessidades espirituais oferecer o direcionamento, o aconselhamento e a vivência em grupo para aprimorar o espírito. Nas necessidade temporais, oferecer ajuda material àqueles que não conseguem os meios básicos e necessários para o seu suprimento físico.

Tem acontecido de igrejas serem cada vez menos acolhedoras. Cumprem-se as práticas, os rituais, mas e a transformação? Cumpre-se protocolo, há preguiças na realização do culto e quando é para atender o fiel, se está muito ocupado e como o número é grande para o atendimento, tem que cortar o tempo, tem que falar somente o necessário… Quem está em dor, já perdeu a noção do tempo e quer falar o que vem à sua mente. Qualquer cântico, qualquer gesto perdem o valor quando o coração daquele que sofre ainda está vazio.

Quero uma religião que acolha, que escute, que direcione, que não se preocupe com o tempo gasto nem com o dinheiro gasto em ajudar o próximo. Quero uma religião menos individualista, menos marketeira, porque é fácil alterar o discurso da figura principal enquanto se está perdendo fiéis, difícil porém alterar as verdadeiras práticas e fazer a mudança global de pensamentos e filosofias, pois a aparência não diz nada, mas as ações dizem tudo.

Não me disseram uma vez que não queriam criar caso com ninguém? Então devolvo na mesma moeda… Também não quero criar caso com ninguém, mas se Jesus estivesse na Terra ele não estaria com pressa em atender e reforçaria novamente a única coisa que vale a pena no pensamento religioso: o Amor, sobretudo o Amor, e quem Ama não tem pressa!

Anúncios