surdosComecei há um mês e meio um curso de Libras – Língua Brasileira de Sinais, no Instituto Federal do Sul de Minas – IFSULDEMINAS – Campus Passos, onde trabalho. A LIBRAS é considerada a segunda língua oficial do Brasil e corresponde a uma estrutura de comunicação praticada pela comunidade surda.

Ainda hoje há pessoas que utilizam a denominação surdo-mudo para se referir aos deficientes auditivos. Tal denominação é incompleta e preconceituosa, pois o surdo não é mudo, a deficiência é auditiva e não vocal. No Brasil, temos como exemplo o caso de Sueli Ramalho, que apresenta surdez bilateral total e desenvolveu a oralidade, ela fala com fluência. É só procurar na internet os vídeos de entrevista da Sueli no Programa do Jô ou no Programa Provocações da TV Cultura.

A Língua de Sinais (e não linguagem como dizem) apresenta estrutura própria. Ela apresenta 5 parâmetros: configuração de mão, o ponto de articulação, o movimento, a direção e a expressão facial e corporal para comunicar. Muitos acreditam que comunicar em LIBRAS é fazer a datilologia, ou seja, o alfabeto manual. Mas não é só isso. É todo um conjunto de sinais. E existem várias línguas de sinais, assim como existe português, inglês, francês… A LIBRAS derivou da língua de sinais francesa.

Estou encantado com esse universo. É muito gostoso aprender e tenho procurando pessoas na internet, aplicativos, vídeos e materiais para aprender cada vez mais. Deixo aqui o meu registro sobre esta nova atividade na minha vida e o convite a quem quiser me ajudar a desenvolver a fluência em LIBRAS. E aí, vamos falar em LIBRAS?

Anúncios