Estreia hoje no Espaço da Gente a série Iconografias do Bem. Para entender o que será o quadro é preciso entender o que é uma iconografia. Essa ideia surgiu a partir dos textos que vimos discutindo sobre a questão da imagem, do corpo, do exibicionismo. Definida de forma geral, a iconografia é uma forma de linguagem visual que utiliza imagens para representar determinado tema. A iconografia estuda a origem e a formação das imagens. Na indústria editorial, a iconografia é a pesquisa e seleção das imagens que serão publicadas em um livro, seja como tema principal da obra ou como complemento de um texto. A pesquisa iconográfica pode enriquecer um texto sobre um período histórico com imagens de esculturas, obras arquitetônicas, quadros ou fotografias de pessoas. Portanto o objetivo desse quadro é analisar algumas imagens de pessoas e símbolos da paz para que possamos fortalecer nosso imaginários com imagens boas já que perambulam pela mídia e redes sociais imagens tristes, violentas, agressivas de todo tipo de terror. Na estreia trazemos essa imagem de Madre Tereza de Calcutá.

Madre-teresa1

Não usemos bombas nem armas para conquistar o mundo. Usemos o amor e a compaixão. A paz começa com um sorriso”.

O mundo conheceu Teresa de Calcutá, que já foi beatificada pelo Papa João Paulo II, como uma senhora toda enrugadinha, mas com um sorriso sereno e encantador que vestia na cabeça um manto branco com bordas azuis, símbolo da Congregação das Missionárias da Caridade, da qual era a coordenadora.

Madre Teresa de Calcutá deixou seu lado – não material, mas espiritual – em fazer o bem sem olhar a quem. Consolou pobres, abrigou gente com AIDS, mulheres grávidas e abandonadas e toda sorte de pessoas em risco e vulnerabilidade social.

Num mundo materialista, mostrou-nos o desprendimento da matéria sendo que até o tecido no qual era confeccionado seu hábito era dos mais simples possíveis.

No livro “Teresa de Calcutá uma vida de amor a Jesus nos pobres” temos uma biografia circunstanciada, com inúmeras citações de cartas e outros documentos, que começa pelo enunciado da tese: ela viu Jesus nos pobres e se desenrola na sequência biográfica hoje bastante conhecida, até desembocar no extraordinário reconhecimento público que, ainda em vida, levava multidões de todo o mundo e de todas as classes sociais a reconhecer a santidade de Madre Tereza.

Um símbolo da fé, do amor e principalmente da caridade. Essa iconografia, fica sem palavras e iremos a partir de agora registrar – em clipping, ou registro de noticiários e pesquisa – um esboço de quem foi Madre Teresa de Calcutá. Se você tem algum material que pode nos ajudar, mande para danilovizibeli@gmail.com