etiqueta1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Agir com naturalidade e simplicidade”, dizem os estudiosos da etiqueta social recomendando que o bom senso é o amigo da boa educação e da finesse.

Iniciando essa série sobre os comportamentos e os costumes populares inicio aqui uma discussão que não almeja tratar com deselegância assuntos importantes e nem ser taxado de esnobe ou de futilidade. Sempre achei a etiqueta algo muito interessante que quando exacerbada vira clichê de frescura e pedantismo. Mas, levada à sério, a etiqueta pode ajudar-nos a compreender melhor os comportamentos sociais e adequá-los para o bem viver e o equilíbrio e harmonia da vida em sociedade.

Inauguro assim um projeto antigo em assessorar atividades ligadas ao bem-estar, eventos, assessorias. Coloco-me à disposição.

Viver em sociedade é um drama e muitas vezes nos encontramos reféns de nós mesmos ou até de outras pessoas. Por isso tanto tem se falado no “bullying”. Muitas vezes moldamos nossos pensamentos e atitudes com base naquilo que o outro vai pensar. E assim criamos amarras e prisões que nos levam a frustrações e decepções e, sobretudo, tristezas.

Tudo que nessa série eu vou dizer já aconteceu ou acontece comigo.

Por isso começo com a primeira dica: “percebeu algo de diferente em alguém? Não comente” ou “só comente se a pessoa for muito íntima de você”. Às vezes aquilo que está chamando a atenção de diferente na pessoa já lhe causou grande martírio em frente ao espelho. “Alouuu… Eu sei que minha pele está vermelha. É claro estou fazendo tratamento de pele. Mas preciso contar-lhe isso? Às vezes é algo muito pessoal!” Às vezes sai aquela espinha e aí já vem: nossa passa isso, passa aquilo e você vira o assunto da roda de bate-papo sem ao menos pedir a voz.

É claro, simples e óbvio: eu tenho espelho em casa! Eu sei como está minha aparência. Por pior que esteja, eu sei como está. Agora, se já é algo do momento, por exemplo, se alguma coisa aconteceu, caiu uma folha e grudou na camisa do rapaz, pode ser elegante avisá-lo, mas desde que discretamente e sem alarde.

Danilo Vizibeli

danilovizibeli@gmail.com

Anúncios