por Rodrigo Castanho*

A E.E. São José acaba de lançar no mês de setembro a quarta edição do Jornal Fala José. O informativo é produzido com a participação de alunos da escola e foram impressos 1500 exemplares, distribuídos aos alunos, professores e à comunidade do bairro, gratuitamente. O objetivo principal é reportar o balanço dos acontecimentos da escola no ano anterior ao da edição, atuando como um registro histórico e comunicativo da comunidade escolar.

Capa do Jornal Fala José 2013
Capa do Jornal Fala José 2013

São responsáveis pelo jornal, o jornalista e mestre em Linguística Danilo Vizibeli e a professora de Língua Portuguesa Gilza Mendes criadora do projeto na escola e atuante desde a primeira edição em 2009, que está se especializando em Mídias na Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Também apóiam o jornal o professor Fabiano Amorim Costa diretor da São José e a professora de Língua Portuguesa Cristina Carvalho. A diagramação e arte final está sob a responsabilidade do publicitário Renato Carnevalli Elias que teve como  orientadora e autora do projeto gráfico a professora da FESP, Heliza Faria.

O projeto tem a colaboração da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) por meio dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda. A ideia é ainda abarcar os cursos de Letras e Pedagogia, já que o projeto promove uma interface entre a Comunicação e a Educação.

A ideia surgiu há 6 anos com o projeto “Comunicação na Escola”, que começou como Jornalismo na Escola, oriundo do projeto de Extensão “Folhas Avulsas: experiências, significados e participação nas páginas de um jornal-laboratório”.

“Cada edição leva um tempo longo para ser fechada porque ela conta com a atuação dos alunos nas reportagens, espaço de textos, artigos, redações, poemas, contos e tudo tem que ser bem orientado para que tenhamos um jornal de qualidade”, explicou o idealizador do projeto Danilo Vizibeli.

A novidade de 2013 é que o jornal traz também um suplemento especial infanto-juvenil, o “Fala Zezinho”, todo colorido, que conta com as produções da Oficininha de Jornal na Escola dos alunos do Ensino Fundamental II, período Vespertino. Houve também uma parceria com o Projeto Observatório da Educação Unifran – Práticas de leitura e de escrita na educação básica – ensino fundamental e médio, coordenado pela Professora Dra. Maria Regina Momesso e chancelado pela CAPES/INEP/MEC. “O projeto de planejamento do ano de 2014 já iniciou e a ideia é mudar o projeto gráfico, já que completaremos 5 edições”, explica Danilo Vizibeli.

Capa do Jornal Fala Zezinho 2013
Capa do Jornal Fala Zezinho 2013

A professora Gilza lembra que conhecer os gêneros textuais do universo da comunicação é muito importante para o aluno e por isso o jornal existe. A parceria entre um jornalista e uma professora de Língua Portuguesa ajuda a desenvolver no aluno o gosto pela leitura e pela escrita. “Quando o aluno começa a produzir um jornal ele contribui para um exercício mais democrático e libertador da Comunicação Social. Hoje a mídia traz muitas inverdades e transforma muitos fatos noticiosos em espetáculo. O profissional jornalista que quer levar em conta sua ética e responsabilidade social pode atuar junto a projetos de mídia comunitária e, no caso do nosso projeto, de Educomunicação, propiciando mais diálogo e a transformação da realidade sociocultural”, destaca Danilo.

Para Gilza o retorno e os resultados alcançados com o Fala José são evidentes desde maiora adesão dos alunos nos processos de escrita até melhoria de níveis avaliativos da educação básica. “Durante a distribuição dos exemplares do jornal Fala José na Escola uma aluna que teve um dos seus textos publicados me procurou e estava muito feliz por ver o trabalho dela na mídia impressa. Isso mostra que estamos cumprindo o nosso objetivo, despertando um ensino que seja transformador. Os índices de avaliação da educação na Escola têm melhorado muito e o projeto já foi citado como exemplo de uma prática pedagógica que dá resultados. É desafiador, mas é muito gratificante”, conclui a professora Gilza Mendes.

* Rodrigo Castanho é jornalista pela FESP/UEMG e também apoia o projeto.