Clique na imagem para ampliá-la

Acessei o meu orkut agora há pouco… Terminado de ler um texto bárbaro da Fernanda Mussalim explicando os conceitos da Análise de Discurso, em “Introdução à Linguística II – domínios e fronteiras”, os conceitos de tal corrente estavam imbricados em mim.

Assim quando entrei no orkut percebi que um amigo tinha postado uma figura de como seria o MSN do seu Madruga da turma do Chaves. E ora, se a AD, nos remete ao contexto sócio-histórico-ideológico em que os discursos são produzidos, temos em “A turma do Chaves” grande terreno para análises.

Deparamos em Chaves, com uma crítica ou ao mesmo tempo uma ilustração e reflexão acerca dos valores de uma sociedade. Temos o patrão, o dono da vila, que cobra o aluguel sempre confirmando a ditaduta do proletariado. Temos a bruxa, como o diferente, o inimigo do sistema, que causa medo. Crianças birrentas, o mendigo de rua que morra num barril. Temos uma sociedade que se tece em formações discursivas perpassadas por uma formação ideológica (que ainda não descobri qual) mas que podemos antever as formações discursivas para chegarmos a tal FI (formação ideológica). A primeira FD que temos é a FD da pobreza, o rico sempre mais rico, o pobre sempre mais pobre. A segunda que percebemos é a FD da dominância intelectual, os mais espertos dominam os ingênuos (relação Dona Florinda/Kiko e Seu Madruga). Podemos ver uma FD nos discursos de Chaves: “Ninguém tem paciência comigo”, “Foi sem querer querendo”, o discurso do oprimido que busca desculpas para sua opressão. A tentativa de culpar a sociedade pelos seus fracassos. E a  busca pela bola quadrada que o Kiko tanto quer é o discurso da diferença: por que eu tenho que ter uma bola redonda, se eu quero na verdade uma quadrada? Por que tudo tem que ser sempre igual? A bola quadrada é um ponto de subversão e de questionamento interessante.

Bom acredito que o assunto é bom e amplo e dá até um artigo.

Conto com vocês amigos para debatermos esse tema e enchermos o post de comentários.

Um abraço

Danilo Vizibeli

Jornalista, Professor e Pesquisador e às vezes Escritor.

Anúncios